OLHO DE VIDRO

Tem sempre um olho que tudo vê, quando a cama não tá pesada. Trocam-se os cenários, mas eles queriam sempre a mesma história. Sendo assim, a mesma história foi contada pelo tempo de mil vidas. O teatro não acabou porque o público desapareceu. O público desapareceu porque os artistas se cansaram. Muita maquiagem sobre palavras desidratadas. Um par de sapatos grandes para corpos vestidos de concreto. Uma das atrizes da Universal, dizia sempre isso: Tem sempre um olho que tudo vê, quando a cama não tá pesada. Volte aos Jardins e clique no ID 07234194. Vou repetir: 07234194. Depois, procure pela “Tradição”.